Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Últimas Notícias

Newsletter

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . .
Dow Jone ... % . . . . .
Espanha 0% . . . . .
França 0,43% . . . . .
Japão 1,86% . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . .
S&P 500 0,31% . . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,11 4,12
EURO 4,56 4,56
LIBRA ES ... 5,42 5,42
PESO (CHI) 0,01 0,01
SOL NOVO 1,21 1,22
PESO (ARG) 0,07 0,07

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Aleam debate exploração mineral na Amazônia em audiência externa da CAE do Senado

  Com a participação da Comissão de Geopersidade e Recursos Minerais, presidida pelo deputado Sinésio Campos (PT), a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) trouxe para o plenário Ruy Araújo, nesta sexta-feira (29), a proposta do senador amazonense Plínio Valério (PSDB), da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), de debater estratégias de sustentabilidade e de políticas públicas de exploração racional do setor mineral na Amazônia. A questão que tem sido debatida na Casa por Sinésio Campos e demais deputados estaduais, ganhou repercussão no país, segundo Plínio Valério diante do posicionamento favorável do presidente Jair Bolsonaro (PSL) à regulamentação da exploração mineral na região. Com esse foco, que passa pela regulamentação do artigo 231, da Constituição Federal, o senador trouxe para Manaus a discussão com especialistas e segmentos sociais interessados. O deputado Sinésio Campos, que também preside o Parlamento Amazônico, destacou o potencial de algumas reservas de minérios estratégicos existentes no Amazonas, como o potássio, o tântalo, o nióbio, o caulin, o nitrogênio do gás natural. Campo mencionou entraves como a criação de reservas ambientais e áreas de preservação em reservas minerais e elogiou o fato de o planalto vir para a planície discutir as questões amazônicas. “Acho que o momento é propício, e o pessoal daqui vem cobrando essa discussão, porque o presidente Jair Bolsonaro tem tocado muito nesse assunto e o tema Amazônia está na pauta mundial. Penso que trazendo os especialistas e os interessados, a gente vai sair daqui com a ideia do que o Amazonas quer, o que precisa e o que nós podemos fazer. Eu posso dizer de antemão que nós não podemos chegar ao ideal, mas podemos chegar a um bom termo e sair com o documento bem esclarecedor”, disse Valério. Mais de uma dezena de expositores de órgãos federais e estaduais, especialistas e representantes indígenas foram ouvidos e participaram dos debates de propostas para o desenvolvimento do setor mineral no Amazonas e na Amazônia, fazendo um diagnóstico sobre os temas relevantes relacionados a políticas públicas, governabilidade, avaliação legislativa, oportunidades e investimentos para geração de emprego e renda, sustentabilidade, controle social, dentre outros assuntos de interesse da sociedade. Algumas questões foram desmitificadas, tais como, o meio ambiente não é um problema, órgãos ambientais mal estruturados é que são um problema; projetos minerais são caros, custam bilhões de dólares; é necessário criar a infraestrutura e promover a regularização fundiária para destravar o andamento de projetos; a atividade mineral não é só para grandes mineradoras – garimpeiros tem de ser valorizados, aproximando esses pequenos mineradores da formalidade.     Diretoria de Comunicação da Aleam Texto: Isaías Oliveira Fotos: Alberto César Araújo      
29/11/2019 (00:00)
Acessos  110894
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.